Escrito por Erik Weijers há um mês

Vitalik não deixa de ter esperança pelas stablecoins algorítmicas

A queda da stablecoin US Terra não desencorajou Vitalik Buterin, o fundador da Ethereum: ele não exclui a ideia de que as stablecoins algorítmicas possam funcionar. Segundo ele, um recurso chave duma dessas stablecoin deve ser que permanece estável, inclusive perante a popularidade em queda.

Buterin argumenta que embora a euforia em determinados círculos em torno da US Terra fosse injustificada, a disposição negativa atual em torno das stablecoins no geral é uma exagero. Segundo as suas palavras, precisamos de afastar-nos do boosterism das stablecoin, mas também do doomerism das stablecoin. O último é a resposta de Buterin à tendência pós-Terra de anular toda a ideia das stablecoins algorítmicas. Para clarificar, Vitalik Buterin não teve e nem tem qualquer envolvimento com a UST.

O que é uma stablecoin segundo a definição de Buterin?

Aquilo que é habitualmente designado por stablecoin algorítmica, Vitalik design como stablecoin automatizada. De facto, esse pode parecer um termo mais ajustado. Estas stablecoins automatizadas diferem da, digamos, USDT e USDC no facto de serem descentralizadas. Isto é, não há nenhum “lote de dólares” estacionado numa empresa para apoiar a stablecoin. Ao invés, há um mecanismo de feedback automatizado que mantém o preço o mais constante possível em relação (habitualmente) ao dólar. Na prática, esse mecanismo é um contrato inteligente que gere a garantia on-chain: outra criptomoeda.

Testes no campo de batalha

Algumas stablecoins automatizadas têm-se saído bem há anos. O fundador da Ethereum indica que a DAI da MakerDAO, por exemplo, suportou com sucesso correções de mercado extremas, por exemplo, durante a queda provocada pela Covid em março de 2020.

Porque é que as coisas correram mal com a UST? A conclusão é que a LUNA, a moeda que manteve a UST estável (Vitalik designa a LUNA como a moeda volátil), não reside em segurança fora do ecossistema LUNA - conforme é a situação oposta com, por exemplo, a DAI, USDC ou USDT. A UST e a LUNA estavam vulneráveis a uma espiral da morte, na qual ambas as stablecoins e a moeda volátil emparelhada caíram em conjunto. Se se instala a ideia de que a procura por UST (a stablecoin) vai cair, a LUNA também se torna vulnerável. Porque se o preço da UST cair abaixo do dólar, a UST tem de ser retirada de circulação (queimada) para fazer com que o preço regresse a 1 $. Isso é financiado criando LUNA e isso coloca pressão no preço da LUNA. O momento de confiança na procura futura por UST caiu, subitamente, de forma acentuada, e isso é o fim. Isso tornou-se claro no início de maio de 2022…

Então como é que funcionam as stablecoins automatizadas?

Buterin sugere dois critérios para stablecoins automatizadas potencialmente bem-sucedidas:

  1. A stablecoin permanece estável, mesmo quando cai arduamente? [Text Wrapping Break]Desde que a garantia possa ser recolhida, os detentores não se preocuparão quantos mais detentores há. Assim sendo, a estabilidade não depende da subida ou da procura estável. A garantia pode ser a Ether, por exemplo.
  2. Pode ser definida uma taxa de juro negativa?[Text Wrapping Break]Suponhamos que a quantidade de dólares em circulação aumenta 20% ao ano. Como é que uma stablecoin consegue acompanhar esse crescimento sem se tornar ela própria num “ponzi”? Segundo Vitalik, as taxas de juro negativas são uma solução, tais como encolher o balanço patrimonial.

Certamente que o último ponto é contraintuitivo e bastante difícil de entender. Leia a explicação detalhada de Vitalik.

Aquilo que estamos lenta, mas certamente, a descobrir é que uma stablecoin algorítmica pode não ser impossível - mas ainda não há um caminho claro para uma versão à prova do futuro.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +70 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app