Escrito por Robert Steinadler há 2 meses

Regulação considerando as preocupações ESG: será a prova de participação o futuro das criptomoedas?

Hoje, o comité ECON votou contra uma proposta de alteração da MiCA que baniria efetivamente a Bitcoin da UE. A ideia de unificar a regulação das criptomoedas em toda a UE é ótima dado que fornece transparência às empresas, investidores e consumidores. No entanto, também há preocupações que foram levantadas pelo partido dos Verdes. A prova de trabalho consome imensa energia e há um enorme debate a decorrer sobre se a mineração de Bitcoin está a ter, ou não, um impacto inaceitável no ambiente.

E se os reguladores decidirem que a prova de trabalho está a prejudicar os esforços para deter as alterações climáticas? Será a prova de participação o futuro das criptomoedas?

A prova de trabalho está sob escrutínio

Quando se trata do consumo de energia da mineração, os participantes no debate comparam-no frequentemente ao consumo de países mais pequenos. Isto pode ser enganador dado que também há outras tecnologias que consomem vastas quantidades de energia. A realidade é que a Bitcoin e outras blockchains que dependem da prova de trabalho consomem imensa energia.

Os argumentos dos Bitcoiners são apelativos. A mineração pode ser utilizada para consumir energia que, de outra forma, seria desperdiçada. E os mineiros que recebem fontes de energia limpa estão dispostos a pagar por esta, conforme já ficou comprovado no passado.

Não obstante, pode argumentar que reduzir o consumo relativo à mineração para zero forneceria um melhor resultado para o ambiente.

Será a prova de participação o futuro das criptomoedas?

A prova de participação só utiliza uma fração da energia que é utilizada para a prova de trabalho. Também não há concorrência entre os participadores para comprar novo hardware e livrarem-se do equipamento antigo. O staking não só é eficiente, como também permite que até os investidores individuais participem no consenso e ganhem uma recompensa. A maioria das criptomoedas que foi inventada após 2020 nem sequer considerava mais a prova de trabalho.

Parece que a prova de participação já se tinha tornado mais popular por diferentes motivos do que as preocupações ambientais. As abordagens regulatórias na UE, bem como nos EUA podem fortalecer um segmento de mercado que já cresceu fortemente nos últimos dois anos. Dito isto, isso não significa necessariamente que a prova de trabalho tornar-se-á obsoleta.

O facto de que a energia é consumida torna a Bitcoin num ativo ainda mais valioso no espaço das criptomoedas. A regulamentação não mudará isso, mas poderá apoiar outras moedas que escolheram um diferente caminho. Embora o parlamento europeu tenha votado contra banir a prova de trabalho, os EUA ainda estão a analisar o impacto ambiental segundo a ordem executiva sobre os ativos digitais que foi assinada pelo presidente Biden na semana passada.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +70 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app