Escrito por Robert Steinadler há 4 meses

O mercado está novamente em descida – Será a recente queda da Bitcoin saudável?

Uma queda pode sempre acontecer em qualquer mercado e esta é habitualmente um evento muito raro. Esse não é o caso com a Bitcoin, dado que as quedas são eventos que acontecem muito regularmente. Ao contrário do mercado bolsista, a Bitcoin e os outros ativos de criptomoedas sofrem quedas regularmente e, habitualmente, são antecedidas por uma subida de antemão.

Isto deixa-nos com a interrogação se uma queda é algo de bom, ou não, em alguns aspetos. A Bitcoin desceu praticamente 51% desde o seu máximo histórico. Será que esta perda é inevitável?

O mercado move-se rápido e arduamente

O mercado de criptomoedas é conhecido por uma coisa: a sua volatilidade. O que significa que todos os ativos podem mover-se num curto período de tempo dentro de um enorme intervalo de preço. Isto cria inúmeras oportunidades e muitos investidores sonham tornar-se milionários com as criptomoedas ao investirem em projetos de criptomoedas que realizam 100x ou mais em retorno.

Se o mercado crescer num curto período de tempo, este prepara o palco para liquidações brutais. O motivo é simples. Muitos projetos de criptomoedas começam com o financiamento inicial ou uma espécie de ICO para angariarem capital. Isso significa que há imensos investidores envolvidos que compram a um preço que era drasticamente mais baixo do que o mínimo histórico no mercado secundário.

Embora seja verdade que os tokens acarretam o risco dos investidores iniciais empurrarem o preço para baixo para obterem ganhos, este não é o caso com a Bitcoin.

Não é a primeira queda

O mercado move-se em ciclos. Isto é, pelo menos, uma teoria sobre como ler o movimento de preço dos últimos 9 anos. Em dezembro de 2013, a Bitcoin atingiu o pico em torno dos 1300 dólares americanos, caindo poucos dias depois para os 393 dólares americanos. Em dezembro de 2017, a BTC atingiu o pico em torno dos 20 000 dólares americanos e continuou a cair até fevereiro de 2018 quando atingiu um mínimo temporário de 6100 dólares americanos.

Parece que testemunhamos outra queda muito similar às que assistimos antes. A Bitcoin é um ativo altamente especulativo, o que significa que as boas notícias a transportam para novos máximos e as más notícias podem fazê-la ruir astronomicamente. Lembra-se do que aconteceu quando Elon Musk anunciou que a Tesla ia passar a aceita Bitcoin? Esses foram os bons tempos, certo?

Mas quando a China baniu a Bitcoin ou o FED vai alterar a sua política monetária folgada, as coisas podem ficar bastante difíceis dentro de apenas um par de semanas.

Será que a Bitcoin irá desaparecer?

Os movimentos passados do mercado não são, de forma alguma, uma garantia do que se irá comportar de igual modo na situação atual. Mas também é um facto que se tivesse comprado no topo anterior em 2017, ainda estaria a sair-se bem, apesar da situação atual.

Inúmeras empresas e inclusive todo um país estão a desenvolver assentes na Bitcoin. O facto de que El Salvador, a MicroStrategy, e inclusive Jack Dorsey trabalham a tempo interior na Bitcoin são bons indicadores de que esta vai permanecer entre nós um pouco mais. Embora seja difícil prever para onde se moverá o mercado no futuro, é seguro afirmar que uma queda não é um motivo para pensar que a Bitcoin e o mercado de criptomoedas vão desaparecer.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +70 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app