litebit

há 6 meses

Decentraland: Barbados abre uma embaixada no metaverso  

Barbados é um dos países mais pequenos no mundo e está a envolver-se em inúmeras atividades diplomáticas. Uma destas atividades é particularmente incomum e deixou algumas cabeças à roda no mercado das criptomoedas. O que é o metaverso e qual é a função das Decentralands neste? E ainda mais importante: será que as embaixadas virtuais se tornarão algo palpável no futuro próximo?

Bem-vindo ao metaverso

Muitas empresas já demonstraram interesse no metaverso. O termo em si descreve uma realidade virtual que permite que os utilizadores interajam livremente. A ideia e a maioria dos projetos e plataformas relacionados com o metaverso ainda é muito jovem.

Mais recentemente, o Facebook anunciou uma remodelação do nome da marca para “Meta”. O gigante das redes sociais pretende expandir-se para o metaverso e moldar uma experiência totalmente nova para os seus clientes. Ainda não se sabe se a Meta consegue convencer novos utilizadores tendo em consideração o facto de que o Facebook enfrentou imensa desconfiança com o seu mais recente projeto Libra. A stablecoin foi criticada pela maioria dos governos ocidentais e após tanta publicidade negativa foi necessário redefinir a marca e designá-la de Diem.

No entanto, o Facebook não está sozinho nos seus planos para o metaverso. Também há um espaço baseado na blockchain que é conhecido pelo nome de Decentraland e está a desenvolver todo um novo mundo. Um mundo virtual onde até os países podem abrir uma embaixada.

Barbados está inclusive a compre terreno

Segundo vários relatórios, a pequena nação não só está a estabelecer uma embaixada na Decentraland como também está a procurar comprar imobiliário virtual em várias outras plataformas.

A Decentraland utiliza o token MANA como a sua criptomoeda nativa. Esta permite que os utilizadores comprem, venda e possuam diferentes tipos de propriedade, entre estas imobiliário virtual. Embora muitas outras plataformas sejam serviços centralizados, a Decentraland é desenvolvida na blockchain Ethereum. Isto assegura transações seguras entre os utilizadores, mas também lhes permite deter pessoalmente um pedaço do mundo ou outros itens.

Os gamers precisam de MANA

Dado que a Decentraland funciona como a maioria dos locais no mundo real, os intervenientes precisarão de dinheiro para participarem e fazerem algo divertido. Os preços pelo terreno explodiram recentemente e com muitos utilizadores, empresas e governos a participarem na Decentraland, a procura por MANA aumentará.

Com a procura crescente e a fúria do mercado bull, o preço da MANA tem aumentado drasticamente desde o início do ano. O metaverso ainda é muito jovem, talvez numa fase em que os NFTs se encontravam há algum tempo. Caso os mundos virtuais assistam a uma adoção em massa, então locais como a Decentraland assistirão a ainda mais crescimento.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +70 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app