litebit

Escrito por Robert Steinadler há 5 meses

O que é a Harmony (ONE) e como é que melhora a escalabilidade?

A Harmony é uma plataforma blockchain descentralizada que é projetada para desenvolver uma ponte entre a descentralização e a escalabilidade. A necessidade de criar essa ponte está enraizada no trilema da blockchain. Há três recursos básicos que são a segurança, escalabilidade e descentralização. Embora a maioria das pessoas preferisse ter uma blockchain que tem todos os três recursos, só é possível ter duas delas sacrificando uma terceira.

Blockchains como a Ethereum deram origem às finanças descentralizadas e a outras inovações. Mas a Ethereum é descentralizada e segura, por conseguinte esta não se escala muito bem. É aqui que entra a Harmony, desenvolvendo uma ponte entre diferentes protocolos blockchain e acrescentando escalabilidade.

A promessa da tecnologia da Harmony é simples: proporcionar uma taxa de transferência elevada com baixa latência e taxas baixas. Isto permite o acesso a um ecossistema que inclui, mas não está limitado a, mercados descentralizados, bolsas de anúncios, rastreio da cadeia de abastecimento, entre outros. O projeto foi iniciado em 2018, angariando 18 milhões de USD antes do lançamento do token One no âmbito da IDO em maio de 2019.

Como funciona a Harmony?

A ideia básica da Harmony é que não há uma única plataforma que alguma vez tenha alcançado um equilíbrio satisfatório entre a descentralização e a escalabilidade. Um recurso chave é a interoperabilidade da Harmony, permitindo-lhe interagir com uma variedade de diferentes blockchains e sendo totalmente agnóstica à questão de se estas estão a utilizar a prova de trabalho ou a prova de participação.

A Harmony em si utiliza um estado aleatório de sharding, permitindo que a rede divida a base de dados em partes mais pequenas designadas por shards, que conseguem processar transações simultaneamente. Isto reduz drasticamente a latência e também permitiu que a testnet alcançasse 118 000 transações por segundo, atingindo a conclusão da transação em 2 segundos.

Outros projetos alcançaram uma velocidade similar, mas todos tiveram de introduzir uma nova tecnologia como o grafo acíclico dirigido (DAG). Dado que a Harmony se baseia no sharding e cada shard é composto por um grupo de validadores, a sua tecnologia é mais descentralizada sem sacrificar a velocidade. Os validadores são nomeados pelo número de tokens que possuem tendo como base o consenso de tolerância de falha Bizantina rápido.

O que é o token One?

O token ONE é o token nativo na blockchain Harmony, e é utilizado para pagar transações na rede, tais como interações com apps descentralizadas. O nome do token deriva do credo “Para um e para todos”. O token ONE foi emitido como tokens ERC-20 na blockchain Ethereum e tokens BEP-2 na Binance Smart Chain. Com o lançamento da mainnet, o token foi migrado.

O token também é necessário para tornar-se um validador segundo a condição de que deve deter um mínimo de 10 000 tokens ONE. Dado que o consenso da Harmony se baseia na prova de participação, os validadores recebem uma recompensa consoante a quantia de ONE que é participada. A rede é protegida de validadores maliciosos utilizando o slashing. Caso um interveniente, com intenções nocivas, tente corromper a rede, um grande número de tokens ONE são-lhe efetivamente retirados. Com uma combinação de recompensa e punição, crê-se que a rede que depende da prova de participação tornar-se-á ainda mais segura porque os stakers têm algo em jogo e, por conseguinte, o mais forte dos incentivos para agirem de forma justa. Deter o token ONE permitir-lhe-á:

  • Participar no staking e criar receita adicional com as recompensas
  • Pagar várias taxas, incluindo taxas de transação, taxas de armazenamento e inclusive taxas gas
  • Os detentores recebem direitos de votação no âmbito do sistema de governação da Harmony

Interoperabilidade e bridging

Um dos casos de uso mais impressionantes é o bridging. Uma ponte de blockchain permite a transferência de tokens ou de dados arbitrários entre diferentes blockchains. Isto significa que a Harmony consegue resolver inúmeros problemas para os utilizadores que tentam interagir com protocolos DeFi oferecendo transferências cross-chain.

O tema mais premente é o das taxas. As transações na Ethereum são caras e se um token existe na Binance Smart Chain, pode ser mais barato estabelecer a ponte deste e pagar as taxas de transação com o token ONE ao invés de transacionar na Ethereum. No entanto, este é apenas um de muitos exemplos.

Quer carteiras são disponibilizadas para a Harmony?

Há uma variedade de carteiras disponíveis. A carteira Harmony ONE é fornecida como uma extensão do Google Chrome que permite interagir com apps descentralizadas mais facilmente, utilizando o navegador como interface. Contudo, estas extensões representam sempre o risco de serem exploradas dado que um website malicioso poderá, possivelmente, tentar interagir com a extensão.

Outra opção é utilizar carteiras físicas, as quais eliminam praticamente por completo a ameaça de um ataque remoto ser utilizado com eficácia. A aquisição duma carteira deste género acarreta encargos adicionais e requer conhecimento para configurar o aparelho de forma segura e proteger a fonte.

A interação com a blockchain Harmony da forma mais segura é combinando uma carteira física com a extensão de navegador ou uma carteira de software normal.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +70 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app