litebit

Escrito por Erik Weijers há 21 dias

O que é o empréstimo de criptomoedas?

Suponha que precisa de dinheiro, mas não quer vender a sua Bitcoin. Há fornecedores de serviços que lhe emprestarão dinheiro em troca de Bitcoin ou de outros depósitos em criptomoedas. Por outro lado, também pode emprestar as criptomoedas nessas plataformas e receber juros por isso.

Como é que recebe um empréstimo em função das suas criptomoedas? A maioria do empréstimo nas criptomoedas funciona - curiosamente - como uma antiga loja de penhores. Pode receber dinheiro emprestado desta “em troca da sua corrente de ouro”. Apenas quando repagar a quantia é que receberá a corrente de ouro de volta. Assim sendo, neste exemplo, essa corrente de ouro seria a sua Bitcoin, ou outra criptomoeda.

Como é que funciona: contrair empréstimos com as criptomoedas como garantia?

Após criar uma conta, a maioria dos serviços dão-lhe uma espécie de calculadora na qual preenche:

  • A quantia que quer emprestada e em que moeda quer recebê-la (euros ou criptomoedas)
  • A garantia que quer depositar, por exemplo BTC ou ETH
  • O valor de empréstimo pretendido: o rácio da quantia de empréstimo para a garantia
  • O prazo

Consoante as escolhas que faz nestas variáveis, a taxa de juro que paga diferirá.

O que é o loan-to-value?

Um termo muito importante a ter em consideração quando faz os seus cálculos é o loan-to-value (LTV): este diz algo sobre a quantia de garantia que está a colocar. A maioria dos empréstimos apoiados por criptomoedas são “sobrecolaterizados”. Isto significa que tem de colocar mais garantia do que recebe de empréstimo. Suponha que escolhe um loan-to-value de 50%. Isso significa que para contrair um empréstimo de 1000 euros, tem de depositar 2000 euros em criptomoedas. Prefere optar por um LTV de 25%? Então, neste exemplo, coloca 4000 euros em criptomoedas para contrair um empréstimo de 1000 euros. Quanto mais baixo o LTV, menos juro tem de pagar.

Quais são os benefícios dos empréstimos garantidos por criptomoedas?

As grandes vantagens dos empréstimos garantidos por criptomoedas são a velocidade e a flexibilidade que oferecem. Pode contrair um empréstimo rapidamente, com imensa escolha em termos de opções de amortização e LTV/taxa de juro.

Um motivo para realizar um destes empréstimos é querer alguns euros extra para pagar por coisas ou para investir, sem vender as suas criptomoedas. Esse investimento também pode ser em… criptomoedas. De facto, algumas pessoas são tão bullish que utilizam as suas Bitcoin como garantia para comprar mais Bitcoin. Tenha cuidado… há riscos envolvidos aqui - veja abaixo.

Quais são os riscos?

Se escolher um LTV alto, corre mais risco de obter uma chamada de margem para colocar mais garantia. Como é que isto pode acontecer? Se o preço da moeda que está a utilizar como garantia cair acentuadamente, o seu empréstimo deixa de estar adequadamente coberto. Nesse caso, terão de realizar um pagamento adicional. Numa queda acentuada, é concebível que chegue demasiado tarde para recarregar a sua garantia - ou talvez não tenha esta garantia. Nesse caso, a sua garantia será vendida e perdê-la-á. Por conseguinte, é importante pensar cuidadosamente no seguinte:

  • Escolha um LTV que não é demasiado alto
  • Tenha algum dinheiro em mãos no caso de o preço cair acentuadamente e ter de pagar extra.

Não são as suas chaves…

Outro risco que inevitavelmente corre quando deposita as suas criptomoedas é que deixa de ter o controlo sobre as suas respetivas chaves. Não são as suas chaves, não são as suas moedas. Confia no serviço que detém as suas criptomoedas que o faça de forma responsável. A boa notícia é que as plataformas centralizadas não têm sido atacadas nos últimos anos, se é que houve sequer tentativas de o fazer. A outra boa notícia é que algumas estão cobertas por um seguro. Isto é definitivamente algo a considerar quando realiza um empréstimo.

Emprestar as suas criptomoedas

Como é óbvio também é possível optar pelo sentido inverso do supracitado, nomeadamente, emprestar as suas criptomoedas. Como primeiro exemplo, isto é possível no mundo das Finanças Descentralizadas. Não vamos aprofundar este assunto agora: este mundo ainda é muito experimental e arriscado (embora, por exemplo a Aave, Maker e Compound sejam serviços reputáveis).

Em segundo lugar, o empréstimo pode habitualmente ser feito com as mesmas contrapartidas, onde pode emprestar dinheiro (consulte a lista abaixo). Como é que isto funciona?

  • Cria uma conta.
  • Deposita a cota das suas criptomoedas que quer emprestar.
  • Recebe um pagamento de juro periódico, por exemplo, uma vez por semana. O juro é habitualmente na própria criptomoeda, ou seja, não é em euros.
  • Pode levantar a quantia emprestada sempre que quiser.

É importante ter em consideração que as taxas de juro flutuam imenso. Elas são habitualmente mais altas num mercado bull do que num mercado bear. De qualquer das formas, elas são frequentemente ajustadas de semana para semana, ou de mês para mês.

Os riscos de emprestar as suas criptomoedas

O empréstimo das suas criptomoedas envolve o mesmo risco de emprestar com as suas criptomoedas como garantia. Em ambos os casos, dá as chaves para as suas criptomoedas. Tenha em consideração que as plataformas de empréstimo fazem mais do que apenas guardar as suas criptomoedas - elas podem negociá-las ativamente nos mercados de empréstimo. Se fizerem asneiras, perde as suas criptomoedas. Não há nenhum governo que cubra estas perdas, tal como aconteceria com um banco normal. Curiosamente, está prevista a chegada de produtos cobertos por seguro, que cobrirão este risco.

Plataformas de empréstimo de criptomoedas mais conhecidas

Sem querer promover estas plataformas aqui, estas são algumas das principais intervenientes nesta área:

  • Celsius
  • BlockFi
  • Crypto.com
  • Ledn
  • Nexo
  • Abra

Além disso, muitas bolsas de criptomoedas também oferecem serviços de empréstimo. Um exemplo é a Binance.

Que moedas?

A gama de criptomoedas relativamente às quais pode contrair ou conceder empréstimos é ampla nos dias que correm. Como é óbvio, a lista exata difere de plataforma para plataforma. A Bitcoin e a Ether, bem como uma stablecoin maior (USDT ou USDC) são realmente sempre uma opção. Para as 15 principais criptomoedas em termos de volume de mercado, não é difícil encontrar uma plataforma de empréstimos.

É novo nas criptomoedas: emprestar sem garantia

O mercado das finanças descentralizadas (DeFi) seria muito maior se os utilizadores pudessem contrair empréstimos como o fazem agora num banco. Nomeadamente, sem garantias. Há alguns projetos que estão a tentar andar com esta forma de conceder e contrair empréstimos do zero. A Goldfinch é um exemplo proeminente. Contudo, esta ainda está numa fase muito experimental e decorre bem longe dos grandes nomes, nas Finanças Descentralizadas (DeFi). A Goldfinch elaborou um modelo de empréstimo onde introduz um terceiro além do mutuário e do credor. Este é um grupo de utilizadores que avalia a credibilidade do mutuário. Para assegurar que este grupo faz a melhor avaliação possível, este deve colocar, ele próprio, dinheiro em jogo. A angariação de um grupo destes, de agentes de boa classificação de crédito, é o maior desafio para este sistema. Leia mais sobre isto.

Empréstimo relâmpago

Nas Finanças Descentralizadas, o conceito exótico de empréstimo relâmpago existe desde 2020. Estes são empréstimos sem garantia, que tem de pagar de volta na mesma transação. Eles são, por exemplo, utilizados para realizar arbitragem ultrarrápida na diferença de preço de uma moeda entre duas bolsas. Para traders avançados e “degenerados das DeFi”!

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +70 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app