Escrito por Erik Weijers há 7 meses

Empréstimo sem garantias: o novo mercado de crescimento para as DeFi?

O mercado para as finanças descentralizadas (DeFi) seria muito maior se os utilizadores pudessem contrair empréstimos da mesma forma que o fazem nos bancos atualmente. Isto é: sem garantia – e esta é atualmente a forma comum de empréstimo na DeFi. Mas isto está a mudar: há cada vez mais e mais protocolos DeFi que estão a ser lançados que exploram a forma tradicional de contrair empréstimo mas, como é óbvio, numa forma descentralizada. Isto não só baixa o limite para o empréstimo, mas também para tornar-se um “banco”.

Embora a quantia de dinheiro emprestada na DeFi tenha explodido de 200 milhões de dólares no início de 2021 para 4 mil milhões hoje, estes números são uma brincadeira de criança comparados com os dos mercados de crédito tradicional. O estrangulamento do crescimento deste mercado de empréstimo DeFi é que os empréstimos são praticamente exclusivamente garantidos.

Empréstimo com garantia: porquê?

Porque é que as pessoas dão-se inclusive ao trabalho de contrair empréstimo com garantia nas DeFi? Por exemplo, eles são detentores de Bitcoin que precisam de euros sem quererem vender as suas Bitcoin. Eles podem receber um empréstimo com a sua Bitcoin como garantia. Isto é uma forma de empréstimo que se assemelha ao modelo da antiga loja de penhores. Deposita o colar de ouro e contrai um empréstimo. Quando repaga o dinheiro, recebe o colar de volta. Embora esta forma de empréstimo seja muito saudável, há apenas um pequeno mercado para a mesma. A maioria das pessoas e empresas quer dinheiro emprestado sem ter de dar uma garantia.

Qualquer um pode tornar-se um banco

Os novos projetos DeFi, dos quais o Goldfinch é um exemplo prominente, elaboraram um modelo de empréstimo onde introduzem um terceiro além do mutuário e do credor. Isto é um grupo de utilizadores que avalia a credibilidade do mutuário. Para assegurar que este grupo faz a melhor avaliação possível da credibilidade, este deve colocar dinheiro em linha por si próprio. Juntar um pool assim tão bom de avaliadores de crédito é o maior desafio deste sistema. Atualmente, é a equipa da Goldfinch que avalia a credibilidade dos potenciais mutuários. No futuro, esta função será descentralizada: qualquer um pode participar no grupo que avalia a credibilidade das empresas. Em troca por esta papel bancário, estes avaliadores de crédito receberão uma taxa de juro maior.

Como é que os mutuários podem sair beneficiados neste sistema? Grande parte do mundo é excluída da forma tradicional de contrair empréstimos. Não é rentável um banco ajudar um pequeno negócio num país em desenvolvimento que quer emprestar alguns milhares de dólares. Por este motivo, o projeto Goldfinch supracitado foi lançado nos países em vias de desenvolvimento. O objetivo é conectar eventualmente todos os habitantes do mundo a esta plataforma.

A homóloga institucional da Goldfinch é a Maple Finance, que fornece empréstimos para empresas de criptomoedas em particular – embora com pequena garantia. O valor total bloqueado (TVL) da Maple Finance é de 650 milhões de USD. A Goldfinch tem 77 milhões nos seus cofres. Outro exemplo de um projeto que já fez várias centenas de milhões em empréstimos sem garantia é a Truefi.

Conclusão

Ao descentralizar o processo de contrair empréstimo e de empréstimo e registando-o na blockchain, não só qualquer um pode tornar-se um mutuário como também um credor. Além disso, os credores tradicionais deixariam de ser relevantes. Seria uma verdadeira revolução nos mercados de crédito. Estamos longe disso, mas estamos a assistir a um início promissor.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +80 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app