litebit

há 3 meses

O que é um ataque 51%?

A Bitcoin é absolutamente segura. Pelo menos até à altura em que escrevemos este artigo. Isto não se deve apenas ao facto da sua tecnologia já ter sido mais do que testada e comprovada, mas também devido ao crescimento constante da sua rede nos últimos anos. No entanto, a segurança das transações numa rede nunca deve ser tida como garantida. A Bitcoin também permite que todos os seus utilizadores verifiquem e confirmem, literalmente, tudo o que se passa na sua rede. Isto também inclui o seu equilíbrio e se uma transação é, ou não, válida.

Mas também há a possibilidade de fraude. Nesse caso, algo ou alguém tentaria assumir o controlo da rede Bitcoin. Neste artigo, falaremos sobre como isto é – em teoria – possível, e porque é que um ataque 51% não é muito perigoso para a rede Bitcoin.

A Bitcoin resolveu o problema da despesa duplicada

Um dos principais desenvolvimentos da tecnologia Bitcoin é resolver a despesa duplicada. Com é que assegura que alguém na rede não cria dinheiro do nada criando uma pilha falsa? Essa pessoa poderá gastar facilmente a mesma quantia de dinheiro duas vezes. No entanto, isto não é possível com a Bitcoin, porque:

  • As transações são verificadas por cada nó da rede;
  • A nova BTC só será gasta através da mineração;
  • Cada transação está associada a um hash único com todo o histórico de transações.

Mas o que aconteceria se uma entidade, ou pelo menos um grande grupo dos principais intervenientes no mercado, quisesse criar uma fraude no sistema em conjunto? Seja qual for o caso, eles não podem alterar o código sem a permissão de todos os demais. Mas será que podem provocar uma perturbação com um designado ataque 51%?

O que é um ataque 51%?

Um ataque 51% significa que alguém obteve controlo sobre a taxa hash dentro da rede. Isto permitiria que o atacante gere mais blocos do que o resto da rede, colocando-o numa posição para manipular as transações.

Um exemplo: o David envia uma transação de 1 BTC para a Maria para pagar um copo de limonada. A Maria não sabe, contudo, que o David tem 51% da taxa hash e está a tentar enganá-la. O David só tem de fazer duas coisas para obter a limonada da Maria sem pagar por esta. Ele prepara uma transação legítima de 1 BTC, mas também prepara uma transação onde envia este 1 BTC para si, exatamente ao mesmo tempo.

O David envia primeiro o 1 BTC para a Maria e obtém a sua limonada. Mas ele utiliza a sua maioria dentro da rede para minar um bloco que contém a segunda transação, transferindo o 1 BTC para si. A Maria fica de mãos a abanar.

Mas o David pode ir ainda mais longe: ele cria secretamente a sua segunda transação de fundo, e constrói sobre esta cadeia. A sua cadeia é mais comprida, porque ele tem mais taxa hash e pode, por conseguinte, ser mais rápido. Subsequentemente, a cadeia mais curta, aquela com a primeira transação dele para a Maria, é desfeita.

Porque é que isto é não é virtualmente um problema com a Bitcoin?

Alcançar uma taxa hash de 51% é praticamente uma tarefa impossível, seja para quem for. Até entidades como o governo dos EUA ou a Google provavelmente não conseguiriam fazê-lo. Eles são muito ricos, mas há três fatores que faz com que seja praticamente impossível para eles alcançarem isto:

  • Precisa de imenso equipamento físico e é dúbio se há o suficiente disponível;
  • Ainda que haja hardware suficiente à venda, o preço explodiria se uma das partes quisesse realizar uma compra tão grande em massa;
  • Tal incursão por parte de um dos principais intervenientes globais não passaria despercebida, permitindo que os programadores da Bitcoin se preparem-se e tomassem contramedidas.

Ainda que um interveniente fosse suficientemente louco para fazê-lo e conseguisse alcançar a taxa hash de 51%, a fraude não passaria despercebida. Todos os nós honestos conseguiriam desaprovar a cadeia fraudulenta com uma simples atualização. O resultado seria: biliões gastos em hardware e eletricidade para uma única transação manipulada.

Eles prefeririam provavelmente utilizar este dinheiro para minar Bitcoin e obter BTC de forma justa do que gastar todo este dinheiro e acabarem de mãos vazias.

E então as outras criptomoedas?

Isso é um pouco mais complicado. Houve inclusive alguns ataques 51% bem-sucedidos no passado, por exemplo na Ethereum Classic (ETC) e em algumas outras altcoins provas de trabalho. O motivo pelo qual isto funcionou é que estas redes eram muito vulneráveis. Não há simplesmente nós ou mineiros suficientes para lidarem com as suas blockchains. Como resultado, um atacante só tem de empregar alguns recursos para obter a maioria.

Há várias medidas para contrariar estes ataques, tais como cadeias cadeado. Estas fazem com que não seja rentável manipular transações através de um ataque 51%, inclusive se for uma rede pequena e vulnerável. Um exemplo de uma criptomoedas que utiliza os cadeados de cadeia é a Dash.

Negocie a qualquer hora e em qualquer lugar

Melhore o seu impacto de negociação e tempo de reação em +40 criptomoedas através do acesso instantâneo ao seu portifólio com o app LiteBit.

download app